Breaking News

Guanambi: execução, fuga, perseguição e prisões na manhã desta segunda



Foto: Whatsapp


Cigano
Um homem identificado como Salvador Oliveira Dourado, conhecido como Marcílio Cigano, residente na cidade de Matina, foi morto com dois tiros, por volta das 10h30 desta segunda-feira (30), na Avenida Governador Nilo Coelho, trecho urbano da BR 030, em Guanambi.

Segundo a polícia, o homem estava em frente ao prédio da empresa Bial, ao lado do seu veículo modelo Fia Strada, placa PJS 0956, de cor preta, quando quatro homens chegaram em um Spacefox, placa INW 5538, de Pelotas (RS), e efetuaram dois disparos contra a vítima, de revólver e, provavelmente, de uma espingarda. Um dos tiros acertou o rosto de Marcílio, que morreu no local.

Na fuga, os atiradores colidiram contra outro automóvel no trevo que dá acesso ao centro da cidade, abandonando o veículo e prosseguindo a fuga à pé, pela Avenida Barão do Rio Branco. O grupo abandonou uma espingarda no veículo, possivelmente utilizada no crime.

Ainda segundo informações obtidas por nossa redação, logo após o assassinato, uma guarnição da Polícia Militar iniciou perseguição, trocando tiros com o grupo na Avenida. Um dos bandidos foi preso e outro morto no conflito. O terceiro integrante do grupo foi detido na cidade de Pindaí, em fuga utilizando um mototáxi de Guanambi. A polícia continua em diligência para prender o quarto participante do assassinato.

Segundo o repórter Bonny Silva, da Rádio Cultura de Guanambi, Marcílio atuava como agiota e possuía um histórico de crimes, inclusive, com participação em um conflito que ficou conhecido como o “massacre dos ciganos”, quando um policial e o proprietário de um bar foram mortos a tiros e golpes de facão, pelos ciganos, no ano de 2007, na cidade de Guanambi.
Preso em Pindaí.
Várias e prisões em Jaíba e Manga, Minas Gerais.
Foto: Polícia Militar