Destaques

Com síndrome rara, menino de 8 anos precisa completar triatlos para sobreviver


Foto: Facebook

Um menino de 8 anos luta pela vida competindo em triatlos. A vida do pequeno Jake Vella passou a depender de passadas, pedaladas e braçadas constantes depois do diagnóstico, em 2015, de uma síndrome rara. Ele é um dos 75 casos documentados a viver com ROHHAD, distúrbio hormonal que fez a criança ganhar peso mesmo com atividade física regular e alimentação saudável.

O hipotálamo de Jake, responsável pela produção de hormônios no corpo, é desregulado e ocasiona a obesidade instantânea. Incurável, a síndrome ataca o sistema nervoso e confere aos portadores uma expectativa de vida de entre cinco e nove anos.

Na tentativa de conter o avanço da doença, o pequeno Jake Vella passou a competir em triatlos, com apoio dos pais — que não raro recebem olhares de repreensão nas ruas de quem não sabe da luta da família para manter a criança saudável.




"Triatlos ajudam Jake a ficar ativo e em forma. É bom para a saúde dele e lhe dá chance de socializar com outras crianças", explicou a mãe do menino, Maruska Vella. "Ele leva uma vida normal, vai à escola, toca bateria, mas precisa ter muito cuidado para não ficar doente. Temos medo que uma simples gripe leve a complicações".

"Triatlos ajudam Jake a ficar ativo e em forma. É bom para a saúde dele e lhe dá chance de socializar com outras crianças", explicou a mãe do menino, Maruska Vella. "Ele leva uma vida normal, vai à escola, toca bateria, mas precisa ter muito cuidado para não ficar doente. Temos medo que uma simples gripe leve a complicações".

O sonho do menino é conhecer os irmãos britânicos Brownlee, competidores olímpicos. A síndrome, no entanto, impede que o garoto viaje longas distâncias.

"Jake é muito positivo, motivado, dedicado. Nunca perde um treino. Ele rouba o coração de quem o conhece. Eu sempre o digo para não mudar, para continuar e dar o seu melhor. Ele é uma inspiração para tantos", ressalta Matt Azzopardi, treinador de Jake.


Nenhum comentário

Os comentários publicados não representam o pensamento ou ideologia do Portal Lapa Oeste, sendo de inteira responsabilidade dos seus autores.