Destaques

Consumo de doces é mais saudável quando feito depois das refeições





Segundo o Ministério da Saúde, o consumo de açúcar livre deve ser de 10% das calorias totais, mas a população brasileira excede esse valor em mais de 50%. Consumir açúcar em quantidade exagerada pode causar sérios danos à saúde, por isso é preciso controlar o consumo do produto.

Questões como o momento ideal e como consumir os doces dentro da alimentação geram diversas dúvidas, mitos e incertezas. Em muitos casos, é a falta de conhecimento que faz com que as pessoas acabem excluindo o açúcar da alimentação, mas o que muitos não sabem é que ele pode estar presente na dieta todos os dias, principalmente quando ingerido após ou próximo às refeições.

Ao juntar açúcar e carboidrato com outros nutrientes ingeridos durante o almoço ou o jantar, como fibras, proteínas e gorduras, são evitados os chamados “picos de insulina”. A insulina é um hormônio que transfere a glicose da circulação sanguínea para as células. Dessa forma, o pico de insulina acontece em seguida a um pico de glicose, substância que está predominantemente presente em alimentos ricos nos componentes anteriormente citados.

Segundo o médico Daniel Magnoni, cardiologista do Instituto Dante Pazzanese, o organismo trabalha o tempo todo para manter o equilíbrio, portanto oscilações bruscas não são desejadas. “Quando alimentos ricos em carboidrato e/ou açúcar são ingeridos, o corpo responde produzindo insulina”, explica o especialista.

Foto: Agência A Tarde



Hábito

A boa notícia é que muitas pessoas preferem, justamente, consumir doces após as refeições, pois é o momento em que sentem mais vontade. Isso se deve a três fatores: o hábito de sempre comer uma sobremesa após a refeição; o fato de ser gostoso e prazeroso; e, por fim, a busca pela saciedade. “Quando se come rápido demais, o corpo ainda não consegue processar a informação de que está satisfeito e continua pedindo por mais energia. Em geral, isso é fácil de verificar – basta escovar os dentes que essa vontade logo passa”, explica a nutricionista Márcia Daskal.

Afonso Lima, produtor de vídeos, vai à academia diariamente e se preocupa com a alimentação. Para ele, é importante consumir os alimentos na quantidade e hora adequada: “Quando eu sinto muita vontade de comer doce, geralmente como uma fruta para absorver a frutose e não glicose pura”, conta.

A nutricionista Júlia Nagle alerta que os doces podem ser substituídos por frutas, mas com moderação. “Nada melhor como sobremesa do que uma refrescante salada de frutas. Ela é uma ótima opção para substituir doces ricos em açúcar e gordura de forma saborosa e saudável”, diz. Em geral, boa parte das frutas pode ser ingerida sem preocupação, mas é importante que haja moderação para evitar o excesso de frutose”.

As frutas que têm menor índice glicêmico e podem ser consumidas com tranquilidade, são: maçã, morango, laranja, pera, goiaba, uva, abacaxi, amora, ameixa e abacate. 

É importante citar que, em casos de dietas restritivas sem carboidratos, ou quando se fica muito tempo sem comer, a vontade de consumir doces vai ser maior e mais presente, o que comprova que a restrição não é um bom meio para atingir determinados objetivos, como a perda de peso de forma saudável.

(Jornal A Tarde)


Nenhum comentário

Os comentários publicados não representam o pensamento ou ideologia do Portal Lapa Oeste, sendo de inteira responsabilidade dos seus autores.