Destaques

Luís Eduardo Magalhães lidera geração de empregos


Foto: divulgação

A Bahia foi o único estado do Nordeste a apresentar saldo positivo de empregos formais entre janeiro e abril de 2017. A informação é da pesquisa divulgada pelo Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene), que aponta que estado foi o único da região que não apresentou diminuição dos postos de trabalho no primeiro quadrimestre deste ano.

A agropecuária foi o setor que mais admitiu trabalhadores, com criação de 5.059 vagas de emprego. A segunda colocação fica para a Administração Pública, com 2.514 novos postos de trabalho. Em seguida, vem a Indústria de Transformação (+2.199 postos), os Serviços Industriais de Utilidade Pública (+1.554 postos) e o setor de Serviços (+171 postos).


Entre os municípios que mais contribuíram para o resultado positivo na geração de empregos formais na Bahia estão: Luís Eduardo Magalhães (extremo oeste), Itamaraju (sul), Dias D’Ávila (RMS), Eunápolis (extremo sul), Jequié (centro sul), Casa Nova (Vale do São Francisco), Jacobina (centro norte) e Barreiras (oeste). Já Salvador, Lauro de Freitas (RMS), Feira de Santana (centro norte) e Porto Seguro (extremo sul) apresentaram os maiores saldos negativos no estado.

Agronegócio

O bom desempenho do setor agropecuário baiano já havia sido apontado em pesquisa da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), vinculada à Secretaria do Planejamento do Estado (Seplan). De acordo com o estudo, a agropecuária do estado registrou expansão de 30% no valor adicionado no primeiro trimestre de 2017.

A expansão foi resultado do bom desempenho em culturas tradicionais e que tem grande peso na atividade econômica baiana, como o cultivo da soja, que apontou expansão de 50% na produção, assim como nas culturas de milho, com 60%, e feijão, com 70%.


Nenhum comentário

Os comentários publicados não representam o pensamento ou ideologia do Portal Lapa Oeste, sendo de inteira responsabilidade dos seus autores.