Breaking News

Obras de escola iniciadas há 2 anos ainda não foram concluídas na BA; gastos superam R$ 3 milhões



Foto: TV Oeste

A construção de uma escola municipal da cidade de Luís Eduardo Maglhães, no oeste do estado, que começou há dois anos ainda não foi concluída, as obras estão abandonadas, só as paredes foram levantadas e a unidade já custou R$ 3,2 milhões aos cofres públicos. 

Se a escola que deverá ter 12 salas e que começou a ser construída em abril de 2015 estivesse pronta, atenderia a 1.200 estudantes. Contudo, a unidade localizada no bairro Mimoso I está abandonada há cerca de um ano. No local, o mato cresceu, a cerca que protegia a obra está no chão e a estrutura de ferro do telhado fica exposta ao sol e a chuva, com risco de ferrugem. 

A previsão era de que o prédio ficasse pronto em abril de 2016, mas um ano e três meses depois da data prevista pra conclusão da obra, nada foi finalizado. De acordo com Leandro Santos, Secretário de Educação de Luís Eduardo, a construção da escola foi interrompida porque a prefeitura ficou sem dinheiro para continuar. 

"Aquela obra foi planejada para ser executada com parte do recurso do Fundeb [Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação ] e parte de recursos próprios. Quando esgotassem os recursos do Fundeb, lançaria-se mão dos recursos próprios. Em fevereiro de 2016, a gestão anterior verificou que não haveria mais recursos para aquela obra", explicou Santos. 

A cidade de Luís Eduardo Magalhães possui 40 escolas, 14 tem prédios próprios, as outras 26 funcionam em prédios alugados. Segundo a secretaria, se a escola do bairro Mimoso I estivesse pronta dava pra atender os 1.200 alunos e economizar mais de R$ 15 mil reais por mês com aluguel. 

A escola que deveria trazer tranquilidade para os moradores com os filhos estudando por perto, está deixando pais e mães preocupados. Segundo moradores do bairro, os ladrões já roubaram vários materiais da obra, e usuários de drogas se escondem no prédio abandonado. A dona de casa Margarida Machado conta que evita sair de casa à noite noite por conta do medo. "Tem noite que enche de gente aí. A gente não sabe se é do bem ou se quer fazer mal", disse. 

Enquanto a obra da escola não recomeça, o secretário de educação informou que pedirá reforço na segurança nas proximidades da unidade de ensino inacabada. "Nós vamos entrar em contato com a Secretaria de Segurança Pública, para que a segurança no local seja reforçada. Salientamos que as rondas acontecem diuturnamente. As obras serão retomadas brevemente", disse Santos.

G1 Bahia


Nenhum comentário

Os comentários publicados não representam o pensamento ou ideologia do Portal Lapa Oeste, sendo de inteira responsabilidade dos seus autores.