Destaques

Vigilante diz que matou mulher porque foi ameaçado de morte


Foto: Polícia Civil

O vigilante Marcos Rodrigues Simião, 44 anos de idade confessou a morte da auxiliar de serviços gerais Cleide Olinda da Silva Gomes ocorrida no último dia 14 de julho nas instalações da CODEVASF em Guanambi. Com Prisão Preventiva decretada pela Justiça Criminal, o vigilante está preso desde a última quinta-feira 27, quando se apresentou à polícia. Em seu depoimento Marcos assumiu a autoria do crime e deu detalhes como matou Cleide.

Segundo o vigilante desde 2014 mantinha um caso com a vítima, mas, tentava terminar o relacionamento, enquanto ela ameaçava contar à sua esposa e o pressionava. Ainda de acordo as declarações do vigilante, dois dias antes do crime ela tentou lhe matar, usando sua arma que encontrava-se desmuniciada e ela colocou uma cápsula, apertou o gatilho três vezes sendo imobilizada por ele.

Marcos contou à polícia que no dia do crime chegou para trabalhar, substituindo seu colega da noite. Começou uma discussão entre ambos e ela tentou tomar a sua arma ainda no coldre. Ele deu um “golpe” de imobilização para dominá-la derrubando-a. Foi quando percebeu que ela havia desmaiado. “Tentei reanimá-la, foi quando percebi que ela estava morta”, disse.
Dentro da empresa ninguém tinha conhecimento da relação amorosa que havia entre a vítima e o assassino e ambos considerados bons funcionários pela direção da CODEVASF.

Bonny Silva


Nenhum comentário

Os comentários publicados não representam o pensamento ou ideologia do Portal Lapa Oeste, sendo de inteira responsabilidade dos seus autores.