Breaking News

Barreiras, São Desidério e Cristópolis possuem empresas que exploram trabalho escravo, diz Governo.


Foto: Polícia Federal

A nova lista de empresas autuadas por manter trabalhadores em regime de escravidão traz seis empreendimentos na Bahia. A lista não foi divulgada oficialmente, mas foi conseguida pelo Fantástico, da Rede Globo.


Na Bahia, a maioria dos registros está na cidade de São Desidério, no oeste. Na Fazenda Flor da Esperança, administrada por Helmuth Rieger, foram encontrados nove trabalhadores em situações análoga à escravidão. Apesar de o nome indicar nova práticas, a Fazenda Novos Tempos 1, segundo o Ministério do Trabalho, abrigava dez pessoas em situação de escravidão. O empreendimento é administrado por Nelson Astor Pooter.

Ainda em São Desidério, os fiscais do Ministério do Trabalho encontraram 44 trabalhadores em situação de escravidão na fazenda Guarani, de Belmiro Catelan.

Em Barreiras, o dono da Fazenda MF1, Marcondes Antônio Tavares de Farias foi encontrado com 33 trabalhadores irregulares. O mesmo aconteceu na Fazenda Barcelona, em Cristópolis. Lá, sete trabalhadores foram resgatados. O local pertence a José Carlos Arrighi.

Registrada como empresa associações de defesa de direitos sociais, a Associação Comunitária Cultural e Recreativa do Distrito de Stle Duboi, em Santa Rita de Cássia, foi flagrada com seis trabalhadores em situação análoga à escravidão. Seu presidente, Moacyr Fontes de Brito, foi autuado.

  bahia.ba  



Nenhum comentário

Os comentários publicados não representam o pensamento ou ideologia do Portal Lapa Oeste, sendo de inteira responsabilidade dos seus autores.