Destaques

Igaporã: jovem com 'barriga gigante' é transferida para hospital de Salvador e tem quadro de saúde estável


Foto: Whatsapp

A jovem Daiane Maria de Oliveira, que tem um problema de saúde que deixou a barriga em tamanho muito maior que o normal, foi transferida para o Hospital Irmã Dulce, em Salvador. 

A transferência ocorreu, via regulação, na última sexta-feira (29). A jovem estava em uma unidade de saúde da cidade de Guanambi. 


O Hospital Irmã Dulce informou que o estade de saúde da jovem é estável e que ainda não há previsão de alta médica. 

Daiane sofre de cirrose hepática e precisa de um transplante de fígado. Em entrevista ao G1, o vice-prefeito e secretário de Saúde de Igaporã, Márcio Fagundes Fernandes, disse que recebeu telefonemas de médicos de Sorocaba (SP) e Salvador, além de Brasília, interessados em investigar o caso. 

“Várias pessoas ofereceram ajuda, já que não temos aqui no município especialistas para todas as áreas. Um endocrinologista de Santa Maria da Vitória me ligou e se ofereceu para fazer uma avaliação de forma gratuita. Ele constatou a cirrose hepática com agravante de possível problema na tireóide. O tratamento dela tem que ser um transplante”, afirmou, após análise do especialista. 


O médico responsável pelo atendimento foi Ivson Petrônio de Cunha. Ele esteve no município no dia 26 de setembro. Após o atendimento e orientação do endocrinologista, a paciente foi colocada no sistema de regulação do município para transferência para uma unidade médica de Salvador. 

Na expectativa da transferência, Daiane foi encaminhada, no dia 27, para o Hospital Regional de Guanambi, também na região sudoeste do estado, a pedidos de médicos da unidade.


Caso

Daiane Maria de Oliveira, de 28 anos, é moradora da localidade de Lagoa da Torta, na zona rural entre as cidades de Caetité e Igaporã, ambas no sudoeste da Bahia. Em vídeo com mais de 500 mil visualizações, ela fez um apelo. 

“Gostaria de pedir uma ajuda porque eu passo no médico e o médico nunca descobriu o que tenho nessa barriga e já fazem três anos que minha menstruação não desce. Quem puder ajudar, por favor, me ajude”, diz o relato compartilhado nas redes. 


Quando a mulher divulgou a o vídeo, a assessoria da prefeitura da cidade de Igaporã disse ao G1 que a jovem já tinha um diagnóstico de cirrose hepática, decorrente do uso excessivo de bebida alcoólica. 

A assessoria disse que ela era atendida sempre que procurava o Posto de Saúde da Família e o Hospital Municipal José Olinto Contrim Fernandes, desde o início desse ano. Segundo a prefeitura, a jovem fez um tratamento paliativo, com retirada de líquido da barriga.



Nenhum comentário

Os comentários publicados não representam o pensamento ou ideologia do Portal Lapa Oeste, sendo de inteira responsabilidade dos seus autores.