Breaking News

Oeste: após queda de ponte, moradores de povoado na BA se arriscam em ponte improvisada com galhos


Foto: imagem / TV Oeste
Moradores do povoado de Cajuerama, na zona rural de Barreiras, no oeste da Bahia, tiveram que improvisar uma ponte com galhos de árvores, para conseguir acesso ao centro da cidade, a outras comunidades e também à BR-242. Isso porque a ponte de madeira foi incendiada e caiu em junho de 2016, e até agora uma nova não foi construída. 

O rio que passa sob a ponte tem mais de três metros de profundidade e muitas vezes, para conseguirem chegar até a escola, crianças atravessam a ponte improvisada sozinhas. 

Sem a ponte oficial, por onde também passavam carros, os moradores de Cajuerama precisam caminhar até 20 quilômetros até chegar a um local onde tenha transporte. "É na perna. Tem vezes que ando doente. Sou obrigada a caminhar direto até chegar na pista para pegar um carro", destaca a aposentada Domingas do Carmo. 

Sérgio da Rosa, presidente da associação de moradores do povoado, diz que sem a ponte improvisada, a caminhada seria ainda maior. "Se a gente for fazer a volta, dá 50 km até a pista. Já por aqui dá 17 km. Como que vamos tirar uma criança doente daqui?", questiona. 

Foto: imagem / TV Oeste

"Está sendo muito difícil para a gente. Todos os dias a gente tem que acordar as 5h da manhã e às 6h já tem que estar aqui no pé da ponte para atravessar as crianças. Não só eu como as outras mães também", diz a dona de casa Sirleide Souza.

O pai de Sandra Souza, moradora do povoado, mora do outro lado da ponte, na comunidade da Melancia. Doente, o homem tem dificuldades para caminhar e não consegue passar pela ponte improvisada. Por isso, é ela que tem que passar, com a filha no colo, para visitar ele.

"De onde eu moro até a casa do meu pai são 7 km. E eu tenho que vir aqui a pé, passar por essa ponte e depois procurar um carro e pagar R$ 150 pra levar em Barreiras, sendo que tenho carro e tenho oportunidade de levar ele até Barreiras, mas não tem como porque a ponte está caída", afirma Sandra. 

Durante a produção da reportagem, um dos galhos da ponte improvisada quebrou e uma moradora de prenome Iolanda caiu dentro da água. Por sorte, ela estava já na margem do rio e não se feriu. "Se não tivesse ninguém para ajudar eu tinha morrido afogada, porque não sei nadar", disse.

Depois de enfrentar os quase 20 km de caminhada e chegar até a pista, a dificuldade continua. isso porque a estrada é de areia e os veículos têm dificuldade de circular pela via. 

Foto: imagem / TV Oeste

Segundo o motorista Luciano Santos, quando chove, os veículos não conseguem trafegar na estrada: "Está precisando também arrumar a estrada. A ponte e a estrada. Se chover não roda, não." 

A Prefeitura de Barreiras foi procurada e informou que a ponte de Cajuerama está em um grupo de 18 pontes que serão recuperadas no município, entretanto não informou quando a obra irá começar. Com relação à estrada, a prefeitura afirmou que as estradas da zona rural estão em boas condições e que estão passando por manutenção.

  G1 Bahia  



Nenhum comentário

Os comentários publicados não representam o pensamento ou ideologia do Portal Lapa Oeste, sendo de inteira responsabilidade dos seus autores.