Breaking News

AL-BA aprova sistema que aponte leitos em tempo real; estado ainda informatiza hospitais


Foto: Bahia Notícias

Um projeto para a disponibilização de informações em tempo real sobre os leitos do Sistema Público de Saúde da rede estadual foi aprovado na última terça-feira (19) pela Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA). A proposição, de autoria do deputado estadual Hildécio Meirelles (MDB), estabelece que além das informações diárias e em tempo real sobre a quantidade de leitos livres e ocupados nos hospitais e unidades de terapia intensiva (UTIs), o site deve contabilizar os pedidos de regulação por municípios e a ordem de classificação da solitação.
Caso seja sancionada pelo governador Rui Costa, a norma não poderá ser colocada em prática imediatamente pela Secretaria de Saúde. “Hoje a Sesab não tem capacidade e infraestrutura tecnológica para fornecer essa informação. Nós estamos investindo R$ 40 milhões na informatização de toda a rede com a implantação de um portal eletrônico, com um software que é fornecido pelo Ministério da Educação, que faz gestão dos hospitais de ensino da Ebserh [Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares], e tão logo o prontuário eletrônico e o sistema de gestão hospitalar estejam implantados nas 56 unidades do estado, nós poderemos disponibilizar isso”, afirmou o secretário de Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, em entrevista ao Bahia Notícias.
O processo de informatização da rede, no entanto, está em andamento e deve ser concluído em seis meses. “Nós já avançamos bastante. Hoje o sistema digital de saúde da Bahia tem sido exemplo para o Brasil. Nós estamos agora na fase de implantação da rede física. Isso, para você ter uma ideia, envolve a conectividade de quase 200 municípios em toda a Bahia, com a conexão através de fibra ótica, internet banda larga. Compramos mais de 4 mil computadores, implantando os pontos de rede em cada uma das nossas unidades”, explica o secretário, acrescentando que resta ainda a parte de software e treinamento.
"E agora estamos no que eles chamam de última milha, conectando as unidades e fazendo a parte final que é o software. Todo o trabalho de diagnóstico, planejamento, execução da parte de hardware foi feita, agora nós estamos implantando os softwares, e estamos treinando os profissionais para operacionalizarem esse novo sistema nosso. Isso deve demorar ainda pelo menos seis meses”.

  Bahia Notícias  



Nenhum comentário

Os comentários publicados não representam o pensamento ou ideologia do Portal Lapa Oeste, sendo de inteira responsabilidade dos seus autores.