Breaking News

Temer tentou agraciar corruptos, mas perdeu, diz colunista


Foto: Agência Brasil
Lógico que o pior de 2017 para Michel Temer foi a denúncia de Joesley Batista, da JBS, que levou de roldão para o limbo o senador Aécio Neves. A pancada foi violenta, mas ele sobreviveu. Chegou a dezembro alegre e até disse que o povo gosta do governo dele, 'mas não diz porque tem vergonha'. Mas acaba fechando o ano sofrendo duas derrotas.

1 – Rachel Dodge, a substituta de Rodrigo Janot na Procuradoria Geral da República, mostrou que não está lá para fazer o jogo presidencial, ao questionar o indulto de Natal no qual ele alivia para os autores de crimes de colarinho-branco.


2 – Cármen Lúcia, presidente do STF, atendeu Rachel dizendo que o decreto do indulto 'fortalece a sensação de impunidade'.

Ora, o decreto de Temer dá o indulto de Natal a quem cumpriu um quinto da pena para crimes sem violência ou grave ameaça, e não mais um quarto da pena para condenados até 12 anos (tirou o limite).

O ministro Torquato Jardim (Justiça) diz que isso nada tem a ver com a Lava Jato. Agora, não. Mas dentro de algum tempo, sim. Até parece que Temer quis se vacinar.

  Levi Vasconcelos / Tempo Presente / A Tarde  



Nenhum comentário

Os comentários publicados não representam o pensamento ou ideologia do Portal Lapa Oeste, sendo de inteira responsabilidade dos seus autores.