Breaking News

Gelo nos medidores de velocidade pode ter causado queda de avião russo, dizem investigadores



Foto: Agência AFP
O acúmulo de gelo nos medidores de velocidade é a causa provável da queda do avião russo que matou 71 pessoas, no último dia 11, de acordo com os primeiros resultados obtidos pelo comitê que investiga a queda da aeronave da empresa russa Saratov, próximo à capital Moscou e à fronteira com o Cazaquistão.


A investigação que os problemas nos sensores que medem a velocidade do avião surgiram logo após a decolagem, forçando os pilotos a desligarem o piloto automático e assumem o controle manualmente.

Os peritos apontaram a uma possível falha de atuação dos pilotos, por terem deixado desligado o sistema de calefação do sensores, que aqueceria o equipamento e impediria a formação do gelo. O congelamentos fez com que o sistema passasse a fornecer dados de velocidade errados e confundiu o comando.

O avião caiu em um campo coberto com gelo sem deixar sobreviventes. Equipes de socorro estiveram no local e resgataram os corpos das vítimas fatais. A perícia sobre o equipamento começou imediatamente após a chegada das primeiras turmas ao local da queda.

O congelamento dos sensores que captam a velocidade do ar exterior ao entrar no equipamento, desencadeou uma sequência de falhas que provocaram da queda do Airbus A330, da Airfrance em 1º de junho de 2009 no Oceano Atlântico, que fazia o vôo Rio de Janeiro- Paris, matando 228 pessoas.