Breaking News

Governo planeja votar reforma da Previdência após as eleições, admite Ministro


O Ministro da Secretaria de Governo do Presidente Michel Temer, Carlos Marun, admitiu que o governo não conseguirá votar a reforma da Previdência antes das eleições de outubro, em virtude do decreto que determinou a intervenção federal o Rio de Janeiro.

Marun argumenta que o problema da segurança pública no Rio assumiu dimensões explosivas e requer medidas urgentes. Segundo o Ministro, a suspensão da votação da reforma é vista como um efeito colateral da intervenção.

Marun deixa transparecer que o Governo Federal segue no firme propósito de aprovar a reforma e, em uma perspectiva otimista, considera que o texto poderá voltar à pauta do Congresso no mês de novembro, após as eleições gerais.

A PEC da reforma da Previdência enfrenta forte oposição das entidades sindicais e rejeição da população. Nesta segunda-feira (19), manifestantes saíram às ruas, em várias cidades do país, contra a proposta do governo.

Para os sindicalistas, a Previdência Social não é deficitária e a reforma visa penalizar o trabalho, para compensar a dívida que os empresariado tem com a previdência.