loading...

Breaking News

Neymar pressiona PSG a aceitar cirurgia para estar 100% na Copa


Foto: AFP
Neymar e Paris Saint-Germain discordam sobre qual é a melhor solução para a lesão que o jogador mais caro do mundo sofreuno domingo (25). Para estar 100% na Copa da Rússia, em junho, o atacante brasileiro quer passar por cirurgia no pé direito que, o tiraria de campo pelo PSG por pouco mais de dois meses. Há sete meses, o clube francês pagou 222 milhões de euros (R$ 879,5 milhões em valores atuais) para ter o ex-santista.


Foi o próprio atacante quem decidiu realizar a cirurgia, após ouvir de especialistas que seria mais garantido que uma operação médica o deixaria em melhores condições para a disputa do Mundial. A intervenção cirúrgica desagrada o PSG e não está confirmada ainda. A decisão sobre o tratamento que será realizado pelo atacante deve ser anunciada nesta quarta-feira (28). 

Neymar sofreu a contusão durante a partida contra o Olympique de Marselha, pelo Campeonato Francês, no último domingo (25). Exame realizado nesta segunda-feira (26) detectou entorse no tornozelo direito e fissura no quinto metatarso do pé. O atacante brasileiro ficou assustado ao ouvir que, sem cirurgia, poderia não conseguir colocar o pé no chão por quase um mês e ainda arriscaria não chegar 100% para o Mundial. Se a recuperação não fosse completa por meio de um tratamento conservador, no período de um mês, a intervenção cirúrgica a partir daí viraria opção arriscada para o jogador chegar à Copa em condições ideais.


Na Liga dos Campeões da Europa, o PSG enfrenta o Real Madrid no próximo dia 6, em Paris, pela partida de volta das oitavas de final. Depois de perder a ida por 3 a 1, na Espanha, precisa vencer por dois gols de diferença. Neymar está fora do jogo de volta das oitavas de qualquer jeito. Mas se não operar e o Paris Saint-Germain se classificar, poderia voltar a tempo de disputar as quartas de final, marcadas para começar em 2 de abril. Com a cirurgia, Neymar poderia atuar apenas se sua equipe chegasse à final do torneio, em 26 de maio, em Kiev.

A Folha apurou que o PSG está descontente com informação sobre a possível cirurgia do jogador ter sido publicada nesta terça para a imprensa brasileira. A decisão do atacante foi publicada primeiramente no site Globoesporte.com, do Grupo Globo. Os franceses interpretam a divulgação da notícia como uma forma de pressão. O brasileiro foi contratado como maior esperança para que a equipe, que pertence a empresa ligada à família real do Qatar, conquiste o maior objetivo: ser campeão europeu.


"A informação de que Neymar vai operar é falsa", afirmou o técnico do PSG, Unai Emery, em entrevista coletiva concedida no centro de treinamento do clube. "Falei com o médico nesta manhã, e ele me explicou o que os exames revelaram. Também falei sobre o assunto com o Antero (Henrique, diretor esportivo), com o presidente e com o próprio jogador", disse.

Procurada, a assessoria de imprensa do PSG informou que o clube não vai se manifestar por enquanto. O estafe de Neymar disse que aguarda um posicionamento oficial do clube francês sobre a cirurgia.


A lembrança da lesão que o tirou da Copa do Mundo de 2014 teria pesado na decisão do jogador da seleção. Após entrada do colombiano Zuñiga, nas quartas de final, ele não pôde disputar a semifinal. Amigos de sua família contaram à reportagem que Neymar estava irredutível quanto à ideia de que uma cirurgia seria o mais indicado para chegar à Copa em condições perfeitas para vencer a Copa e se tornar o melhor jogador do mundo pela Fifa.

O Mundial na Rússia é a prioridade para Neymar. Já o PSG tem como maior objetivo da temporada a Liga dos Campeões. E pretende contar com o brasileiro na disputa do torneio. "O PSG já sabe que não vai contar com o Neymar nos próximos jogos, que não vai contar com o Neymar por seis semanas no mínimo, porque esse tratamento vai durar de seis a oito semanas. Isso já está definido, independentemente de cirurgia ou não. O tratamento convencional também vai demorar de seis a oito semanas, e só o que precisamos fazer é o que não pode causar uma nova fratura lá na frente, que possa prejudica-lo. Que as pessoas tenham bom senso e critério na hora que vão falar alguma coisa e se coloquem no lugar da gente", disse o pai de Neymar, em entrevista para a ESPN Brasil.


Surpresa na Seleção

A CBF também foi pega de surpresa pela divulgação da notícia de que Neymar tem planos de fazer cirurgia. Após ver a notícia ser publicada nesta terça (27), o médico da seleção brasileira, Rodrigo Lasmar, que estava em Sochi em um evento da Fifa, se dirigiu a Paris para auxiliar os médicos franceses. “Eu venho falando com o departamento médico do PSG desde o dia da lesão. As informações corretas serão dadas por eles, estamos juntos nessa. A partir desta quarta, depois que eu examinar o jogador, a partir disso tomamos uma decisão”, afirmou Lasmar à Folha.

“A cirurgia vai depender do tipo de fratura, precisamos avaliar isso e fazer um diagnóstico mais claro depois que fizer todos os exames, aí, sim, teremos uma indicação. A princípio não dá para dizer o tempo de recuperação porque primeiro precisamos saber com precisão do que se trata, para então determinar um diagnóstico e depois disso definirmos”, completou o médico da CBF.


A notícia da cirurgia de Neymar fez Tite mudar seu planejamento na seleção. Três horas após a publicação da notícia com a informação sobre a cirurgia do atacante, a CBF divulgou uma nota no seu site adiando do dia 2 de março para o dia 12 a convocação para os amistosos contra Alemanha e Rússia, em 23 e 27 de março, respectivamente.

O coordenador de seleções da CBF, Edu Gaspar, disse à Folha que a convocação de Neymar para os amistosos não está descartada. "Ainda é muito cedo para falar disso. Temos de esperar a decisão do Paris Saint-Germain. Se o melhor para ele curar a lesão for ficar no PSG, entenderemos. Mas não tem muito o que falar. Temos de esperar o PSG”, afirma o dirigente.


100% Para a Copa

Médicos ouvidos pela reportagem indicam uma cirurgia como decisão mais indicada para garantir Neymar no Mundial, em junho, apesar de, em casos mais comuns, um tratamento conservador ser o mais utilizado. “Se tratando de um atleta de alto nível, com situação de disputa de Copa do Mundo nos próximos três meses, em que ele necessita total confiança para fazer todas as atividades de rotação e movimentos de lateralidade, está se levantando a possibilidade de fixação com parafuso, que teoricamente diminui a chance de não ter a consolidação desse osso. Essa é uma situação de definição entre paciente e médico”, disse José Luiz Runco, médico da CBF por 16 anos, entre 1998 e 2014.

“Em casos que você quer uma reabilitação mais rápida, um retorno mais rápido ao esporte, a cirurgia é o indicado. Com a colocação do pino, ele vai aproximar o fragmento, o que o deixa com maior contato e favorece a cicatrização”, afirma o ortopedista Ronaldo Nazaré, chefe do departamento médico da CBF no fim da década de 1980 e médico do Cruzeiro por 30 anos.

"Esse tipo de fratura possui uma certa complexidade, pois é uma região que possui inserção de alguns tendões e está subdividida em três tipos de fratura. Na grande maioria dos casos, o tratamento é conservador, com uma tala gessada por aproximadamente seis semanas. A intervenção cirúrgica costuma ser deixada para aquela pseudoartrose, que é quando a fratura não consolida”, declarou o ortopedista e médico do esporte Henrique Biaggioni.

  Folha de S. Paulo