loading...

Breaking News

Bahia: Governo inicia segunda etapa do Mutirão de Cirurgias Eletivas







O Governo da Bahia lançou mais um etaapa do Mutirão de Cirurgias Eletivas, nesta terça-feira (24), em evento realizado no auditório do Senai Cimatec, em Salvador.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesab), foram realizados 18 mil atendimentos na primeira etapa, que se converteram em mais de 14 mil cirurgias.

O Mutirão de Cirurgias atende ao público que possui cirurgias não emergenciais agendadas pelo SUS. A segunda etapa começa nesta quarta-feira (25), com a realização de exames pré-operatoriais, em Dias D'Ávila, Região Metropolitana de Salvador (RMS).

“Identificamos, na Bahia, uma demanda de outras cirurgias que não ofertamos na primeira etapa do mutirão. Por isso, nesta segunda etapa, além das cirurgias de retirada de hérnia, vesícula e útero, por exemplo, ofertaremos também cirurgias de tireóide, com a realização da tireoidectomia, dentre outras”, detalhou o secretário estadual da Saúde, Fábio Vilas-Boas.



Outra novidade da segunda etapa é a inclusão de cirurgias pediátricas, para pacientes de 4 a 13 anos. Nas crianças, serão executados procedimentos nas amígdalas, em casos de amigdalite com adenoide, e, ainda, hernioplastias e retossigmoidectomia.

Segundo a Sesab, o acesso de pacientes ao mutirão continuará através do Sistema de Gestão de Cirurgias Eletivas através da Lista Única. Os procedimentos serão disponibilizados para as pessoas que tenham o cadastro completo com indicação de cirurgias de hérnias inguinal, umbilical e epigástrica, vesícula (colecistectomia), histerectomia total para pacientes de 14 a 65 anos, além dos novos procedimentos que foram incluídos nessa nova etapa.

A Sesab mobilizará os municípios para atualizarem o cadastro dos pacientes que atendam aos critérios do mutirão. Após o cadastramento, a Secretaria informará os locais e datas de instalação das unidades móveis, que vão percorrer os municípios. Dentro dos veículos, a população passa por exames de raio-x, ultrassonografia e eletrocardiograma, seguido de consulta com o médico. Uma vez que tudo está correto com os pré-requisitos, o paciente passa pela cirurgia em uma unidade hospitalar.