Breaking News

Lapa: órgãos públicos paralisados, ruas vazias e venda ilegal de gasolina. O cotidiano da greve.





A greve dos caminhoneiros atravessou o oitavo dia causando a paralisação gradativa dos órgãos públicos e empresas privadas. Nos Oeste da Bahia, prefeituras suspenderam as aulas devido à paralisação dos transporte escolar, interrompendo, também o funcionamento de outros setores.


Flagrante da venda ilegal de combustível em Bom Jesus da Lapa.
A Universidade do Estado da Bahia (UNEB) determinou a suspensão das aulas em todo o estado, a partir desta segunda-feira (28). Igual medida foi adotada pela Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB) e IfBaiano, em Bom Jesus da Lapa, juntamente com faculdades particulares.




Prefeitos adotam medidas excepcionais para enfrentar a crise e o desabastecimento que se inicia na região. Outros decretaram situação de emergência. Em Serra do Ramalho, a Prefeitura suspendeu os serviços de atendimento à população, com exceção do setor de saúde, que funciona em esquema de plantão para atendimentos emergenciais.

Nossa reportagem conversou com cidadãos de Bom Jesus da Lapa, que se mostraram preocupados, no entanto, apoiaram integralmente o protesto dos caminhoneiros.




Pelas ruas da cidade, o cenário é bem diferente dos dias úteis com funcionamento normal da cidade. Uma pequena quantidade de veículos ainda circula, mas já não há combustíveis disponíveis nos postos. Nessa segunda, distribuidores anunciaram o esgotamento dos estoques de gás de cozinha.

A reportagem do Portal Lapa Oeste flagrou uma prática tipificada como crime no Código Penal: a venda ilegal de combustíveis nas ruas da cidade. A revenda foi vista na Praça Marechal Deodoro da Fonseca, com gasolina custando 15 reais, o litro.