loading...

Breaking News

Lapa: somente as escolas suspenderam atividades devido à falta de combustíveis


Foto: WhatsApp

No terceiro dia de greve dos caminhoneiros em todo país e no segundo sem combustíveis na região, a maioria dos serviços públicos de Bom Jesus da Lapa ainda atende normalmente à população, com exceção da rede municipal de ensino. 

O Portal Lapa Oeste entrou em contato com várias coordenações e gestões dos vários serviços municipais e estaduais, para identificar aqueles que possuem estrutura para continuar atendendo a população e em que grau de eficiência conseguirão atuar nos próximos dias. 

Na área de segurança pública, a 38ª Companhia Independente de Polícia Militar agiu preventivamente, abastecendo as três viaturas que atendem à população do Município. No entanto, o esquema preventivo garante funcionamento normal até o final de semana. 


O Delegado Coordenador da 24ª Coorpin, Dr. Jakson Luiz Trindade Neves, informou á reportagem que nos dias anteriores à deflagração da greve emitiu alerta a todas as delegacias territoriais, nas quatorze cidades integradas à Coordenadoria, para que se prevenissem contra o desabastecimento de combustíveis. 

Especificamente sobre Bom Jesus da Lapa, Dr. Jakson detalhou que as seis viaturas que prestam serviço ao município foram abastecidas, garantindo o funcionamento por cerca de 10 dias, exceto se houver viagem longa ou ações extraordinárias que demandem maior circulação dos veículos. 

A coordenação do Serviço de Atendimento Móvel (SAMU) informou que as duas ambulâncias, uma motocicleta e a lancha, utilizadas pelos socorristas, também foram abastecidas e poderão funcionar normalmente nos próximos dias. 


O único setor de serviços públicos que já sentiu a falta de combustíveis nos postos da cidade foi o transporte escolar. O Secretário Municipal de Educação, Adson Pereira da Silva, emitiu nota pública informando que a frota escolar paralisou a partir do meio-dia desta sexta-feira (24), após funcionamento normal no turno matutino. Portanto, as escolas só retornarão quando o abastecimento de combustíveis for normalizado.

A reportagem manteve contato, ainda, com a assessoria de comunicação do Núcleo Territorial 2, que enviou uma nota à redação sobre o funcionamento das escolas da rede estadual: "Segundo a Diretora Territorial, Ayrleide Maria Miranda Pereira, nenhuma Escola Estadual do Território ainda sinalizou qualquer problema relacionado à falta de combustível, mas assim que for sinalizada qualquer dificuldade, serão suspensas as aulas e acrescentados os dias (proporcionalmente) no calendário letivo para que os estudantes não tenham prejuízo nos 200 dias letivos"

Enquanto isso, depois de promover uma correria aos postos de combustíveis, nesta quarta, a população racionaliza o uso dos veículos e aguarda o final da greve dos caminhoneiros.