Breaking News

Nave lançada para 'tocar' o Sol está operando normalmente, diz Nasa


Lançamento de missão da Nasa que vai 'tocar' o Sol  (Foto: Reprodução/Twitter)


A nave espacial lançada pela agência espacial americana (Nasa) na madrugada deste domingo (12) para "tocar" o Sol está "saudável e operando normalmente", segundo comunicado da agência. O lançamento da missão Parker Solar Probe foi realizado às 4h31 pelo horário de Brasília, a partir da Estação da Força Aérea de Cabo Canaveral, nos Estados Unidos.

O gerente do projeto da missão, Andy Driesman, comemorou o êxito do lançamento, segundo comunicado divulgado pela Nasa.

A nave espacial deverá se aproximar da enorme estrela cheia de hidrogênio e hélio e enfrentará temperaturas altíssimas, assim como níveis de radiação. Os cientistas vão chegar mais perto do que nunca, na atmosfera externa do Sol.


O objetivo é aprender mais sobre os ventos solares e entender os motivos de a atmosfera externa do Sol ser mais quente que a superfície. O que será colhido de informação pelo caminho também será importante.

A operação chegou a ser adiada três vezes. O último cancelamento ocorreu neste sábado (11), por conta de problemas técnicos.

A Parker Solar Probe (PSP) é uma nave única: foi projetada para suportar condições brutais de calor e radiação, com uma blindagem que é resultado de anos de pesquisas.

A PSP chegará sete vezes mais perto do Sol do que qualquer outra espaçonave;
O material deverá suportar temperaturas que passam de 1,3 mil ºC – a superfície do Sol pode chegar a 5,5 mil ºC. A coroa, atmosfera externa, pode ter milhares de graus Celsius. Por isso, vamos chegar até um certo limite;
A sonda tem custo de US$ 1,5 bilhão (R$ 5,8 bilhões).


Parker Solar Probe, missão da Nasa para o Sol (Foto: Claudia Ferreira/G1)

O nome da missão – Parker Solar Probe – é uma homenagem a Eugene Newman Parker, astrofísico de Michigan. Foi ele quem descobriu uma solução matemática para comprovar os ventos solares. Parker recebeu a honra de ter uma missão com seu nome ainda vivo, uma raridade na história da Nasa.

  Portal G1