loading...

Breaking News

Paratleta do Oeste da Bahia bate recorde olímpico sobre cadeira de rodas


Resultado de imagem para Ricardo Serpa de Souza,
Foto: O Destak

Com apenas 24 anos, o paratleta Ricardo Serpa de Souza, natural de Santa Rita de Cássia, município da região oeste da Bahia jamais imaginava que se tornaria o recordista nos 100 e 200 metros na categoria T34.

Nascido na zona rural do Peixe de Dentro e nono filho de 10 irmãos, Ricardo Serpa veio ao mundo sem apresentar nenhuma deficiência. Até que foi acometido por uma febre quando tinha 10 meses, que durou uma semana e chegou a marcar 40 graus. Durante seu estado febril teve uma convulsão e ficou por alguns segundos sem oxigênio no cérebro que acabou afetando os membros inferiores.

Essa situação não abalou Ricardo Serpa que tinha um sonho de participar de uma Paraolimpíada e resolveu sair da sua cidade natal e há cinco anos reside em Ceilândia, cidade satélite de Brasília. Esse santa-ritense, exemplo de superação, dava o primeiro passo em busca dos seus objetivos.

“Mudei para Brasília porque tinha o sonho de disputar uma Paraolimpíada e se ficasse em Santa Rita de Cassia não teria como realizar esse sonho. Agora estou ficando mais perto de realizar esse sonho, depois de levar muitos nãos, de ter a porta fechada muitas vezes. Nunca desisti de nada por causa da minha mãe que faleceu quando eu tinha 11 anos”, disse.

Resultado de imagem para Ricardo Serpa de Souza,
Foto: O Destak

Essa perda irreparável deu mais forças a esse herói que seguiu seu caminho. “Se hoje estou independente é graças a ela, se hoje estou com uma boa mobilidade foi ela que foi atrás. Não quero que o que ela fez por mim tenha sido em vão, por isso sempre quero dar orgulho a ela”, contou.

Uma referência na vida de Ricardo Serpa, os valores transmitidos por sua mãe é que fazem não desistir ou interromper sua trajetória de sucesso. “Sei que ela está torcendo por mim lá de cima e até hoje ela continua sendo meu maior incentivo mesmo não estando mais entre nós fisicamente, por isso todas às vezes que pensei em desistir eu lembrei dela e a vontade desistir passava. A vontade de lutar por ela é maior que qualquer vontade de desistir”, revelou emocionado.

Hoje, uma referência na modalidade, Ricardo Serpa participou novamente de competições e ganhou medalha de ouro nos 100 e 200 metros. Ano passado ele já havia batido o recorde brasileiro nos 100 metros, em 2018 ele superou sua própria dos 200 m. O recorde anterior dos 200 metros era de 33.98 segundos, agora baixou o tempo para impressionante 30.63 segundos.

  Blog Sigi Vilares