Breaking News

Entrega de crianças para adoção não é crime, e está prevista em lei; entenda




Cadastro aponta que há 130 crianças e adolescentes aptos para adoção em todo o DF (Foto: Jana Pessôa/Setas-MT)
Foto: reprodução



De janeiro a agosto deste ano, 10 crianças foram entregues voluntariamente pela família para a Justiça do Distrito Federal, para serem adotadas. Se somados os últimos três anos, esse número sobe para 51. Os números foram confirmados ao G1 na sexta-feira (31) pela Vara da Infância e Juventude (VIJ).

O órgão é responsável pela mediação e o apoio psicossocial prestados às mães no momento da entrega. A decisão dos pais biológicos é sempre mantida em sigilo com base na Lei da Adoção, de 2017. Já as crianças ficam sob a responsabilidade do Estado até encontrarem um novo lar.

A gerente do Serviço Social da Secretaria de Saúde do DF, Lucineia Moreli, recebe – quase que diariamente – mulheres que tiveram filhos e manifestam o desejo de não permanecer com eles. É este departamento que direciona as gestantes para o atendimento jurídico.

"Após ser concretizada, a adoção é irrevogável", explica. "Então é preciso que a decisão seja tomada com segurança".

Atualmente 130 crianças e adolescentes estão cadastrados para adoção no DF. Em contrapartida, há 498 famílias habilitadas para recebê-las. Ou seja, há mais adultos dispostos a adotar do que "filhos" na lista de espera, mas a conta não fecha. Portal

  G1 Distrito Federal