Breaking News

Lapa: multidão percorre às ruas pelo Movimento #EleNão




Foto: Warley César/Portal Lapa Oeste
Uma multidão participou do ato de protesto #EleNão durante a manhã deste sábado (29), em Bom Jesus da Lapa, como parte do calendário internacional de lutas organizado sob o mesmo tema, para este mesmo dia, no Brasil e vários outros países, contra o candidato e Presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL).

A Manifestação iniciou na Praça Marechal Deodoro da Fonseca a partir do momento que os organizadores iniciaram os gritos de guerra e palavras de ordem sobre o tema do protesto, utilizando o carro de som. O protesto contou com a presença de pessoas de todas as idades. 




Foto: Warley César/Portal Lapa Oeste
Grupos se organizaram para fazer apresentações durante o trajeto, enquanto participantes fizeram pronunciamentos durante o percurso, utilizando cartazes, camisetas e faixas, além da distribuição de flores à população.

Após percorrer várias ruas e avenidas do centro da cidade, a multidão tomou conta do Mercado Municipal Dona Firmina, onde permaneceu por cerca de uma hora, como determinado pela administração do mercado.

Uma das organizadoras do evento, a servidora pública Isabel Geane, enfatizou que o ato não pertenceu a qualquer partido político, pois o objetivo era combater o que considera pensamento fascista presente na campanha eleitoral.




Foto: Warley César/Portal Lapa Oeste
"O movimento seguiu o calendário internacional #EleNão, para protestar diante de tantas barbaridades, contra o comportamento de um candidato à Presidente da República. Nós não poderíamos cruzar os braços enquanto mulheres, mães, sociedade e famílias de Bom Jesus da Lapa. Hoje reunimos um grande número de pessoas para dizer não a esse comportamento de ódio. Deixamos claro que não aceitamos o discurso machista que diminui a mulher (diz que a mulher tem que ganhar menos porque engravida). Por isso, nós estamos aqui reafirmando nossa força. Somos mais de 50% da população, a maioria do eleitorado e somos mães da outra parte. Por isso, temos que ocupar as ruas, os espaços públicos para lutar por nossos direitos como cidadãs. Esse ato é contra o fascismo, o racismo, a homofobia e a xenofobia. Nós já não aceitamos mais isso. Esse discurso não cabe mais na nossa sociedade. Estamos nas ruas em favor da democracia, da paz e do repeito às minorias".

Reportagem e fotos: Warley César/Portal Lapa Oeste