Breaking News

"As novas tecnologias conspiram contra a democracia"



Juan Carlos Monedero



Juan Carlos Monedero, um dos fundadores do partido espanhol Podemos, esteve no Brasil com dois objetivos: visitar o ex-presidente Lula em Curitiba e lançar seu livro "Curso urgente de política para gente decente", pela editora Contracorrente.

Em uma conversa com a Revista CartaCapital, o cientista político destacou que as esquerdas precisam entender que sempre haverá pequenos matizes nas ideias, mas os interesses devem ser maiores para sua união.

Apesar do avanço de extrema-direita em países da Europa, ele intui que essa "onda" será breve, pois tem resultado em uma crescente exclusão de amplos setores da sociedade. Entretanto, o campo progressista precisa entender que "não pode mais olhar para trás e voltar ao passado".



"É muito importante que os partidos da esquerda se entendam como partidos-movimentos, quer dizer, que seus laços estejam ligados também aos movimentos sociais porque é a única maneira para não se converter em partidos tradicionais", comentou o cientista político.

"Considero ilegítima a vitória de Bolsonaro nas eleições. Ainda que tenha havido regras de tempo de televisão na campanha para cada partido, não houve um plano de controle do uso das redes sociais, como o WhatsApp", protestou.

"As novas tecnologia conspiram contra a democracia. Vimos o Facebook vendendo os dados a extrema-direita, que os usaram de forma determinante para o êxito do Brexit na Inglaterra. Milionários de extrema-direita usaram as redes sociais para subverter a democracia e foi exatamente o que ocorreu aqui no Brasil. Houve um uso ilegítimo para mudar a opinião da população e isso vai contra a democracia", salientou Monedero.

Confira a entrevista completa no site da Revista Carta Capital.