Breaking News

Nanopartículas de ouro matam células do câncer de próstata



iStock



Um novo estudo realizado por cientistas da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, revelou que nanopartículas de ouro atacam de forma eficaz as células do câncer de próstata e sem efeitos colaterais.

A terapia utiliza nanopartículas, que consistem em pequenas camadas de vidro de sílica na forma de uma esfera.

Uma camada muito fina de ouro reveste cada esfera. Os pesquisadores mostraram que as nanopartículas procuram células cancerígenas no corpo e entram nelas. Até aí, nada de novo. Mas usando um laser para aumentar as temperaturas ao redor das esferas, eles conseguiram estimular as nanopartículas, fazendo elas vibrarem e pulsarem, o que mata o tecido canceroso.



Apesar do uso do laser, esse tratamento preserva o tecido saudável circundante, que inclui os nervos vitais e o esfíncter urinário. Isso deve evitar que as pessoas experimentem alguns efeitos colaterais comuns do tratamento do câncer de próstata, como a incontinência urinária e a impotência.

"Os efeitos colaterais dos atuais tratamentos contra o câncer de próstata podem ser extremamente traumáticos. Mas essa nova tecnologia tem potencial para eliminar esses efeitos, enquanto remove o tecido canceroso e reduz o tempo de internação e recuperação", diz Steven Canfield, chefe da divisão de urologia da universidade.

O Dr. Canfield observa que o primeiro participante deste experimento obteve ótimos resultados e conseguiu até andar de bicicleta na primeira semana após o tratamento.



Embora existam certamente tratamentos atuais que são bem-sucedidos na maioria dos casos de câncer de próstata, a possibilidade de efeitos colaterais ou perda de função torna essas opções de tratamento um pouco menos desejáveis.

Se os ensaios clínicos que apresentam nanotecnologia de ouro continuarem a ter resultados recompensadores, é possível que esse tratamento, um dia, se torne uma opção genuína para todos que receberem um diagnóstico de câncer de próstata.



Doug Flewellen, o primeiro paciente no Texas a receber o novo método de tratamento, espera que esse tipo de terapia se torne comum. "Nenhum homem quer passar por remoção radical. Os efeitos colaterais do tratamento tradicional não valeram a pena para mim, e eu não tinha medo de experimentar a tecnologia mais avançada. Olhando para trás, a experiência foi ainda melhor do que eu esperava, e espero ver a terapia com nanopartículas se tornar uma opção para qualquer pessoa diagnosticada com câncer de próstata no futuro".

Se os ensaios clínicos continuarem a ter resultados positivos, os cientistas acreditam que esse tratamento, um dia, vire uma opção genuína para pessoas com esse tipo de câncer. 

UOL/Viva Bem



Nenhum comentário

Os comentários publicados não representam o pensamento ou ideologia do Portal Lapa Oeste, sendo de inteira responsabilidade dos seus autores.