Breaking News

Papa Francisco quer firmar uma Igreja cuja prioridade são os frágeis e pobres









Após o encontro, é possível ressaltar pelo menos três indicações expressivas da Igreja (Católica). A primeira delas é a expulsão neste mês do ex-cardeal de Washington, Theodore McCarrick, acusado de abuso sexual de crianças. Sinaliza que ninguém é maior que a lei canônica – do padre da aldeia até o alto escalão – e que o corporativismo não vai pesar. Isso harmoniza a isonomia e dá credibilidade.




Outro ponto importante, uma busca pessoal do papa Francisco, é fazer com que a mudança não seja só de um episcopado ou de cima para baixo. Por isso, chamou representantes de todo o mundo. Francisco quer firmar uma Igreja cuja prioridade são os frágeis e pobres, e não aquela que acoberta ou justifica desvios, como foi no passado em relação a esse problema.




O terceiro destaque é associar o abuso a Satanás, o que é forte e inédito no discurso teológico. No lugar de praticar o bem, o abusador serve ao demônio, e não a Deus. Deve perder a função clerical. Além disso, Francisco promete ações legais sobre como punir, para não ficar apenas na intenção. A transformação é lenta, mas muito importante.

  Jornal O Estado de S. Paulo  



Nenhum comentário

Os comentários publicados não representam o pensamento ou ideologia do Portal Lapa Oeste, sendo de inteira responsabilidade dos seus autores.