Breaking News

Codevasf realiza curso de beneficiamento de pescado em Santa Maria da Vitória








O primeiro curso de beneficiamento de pescado e produção de derivados de peixe realizado pela 2ª Superintendência Regional da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) reuniu participantes de municípios do Médio São Francisco baiano em Santa Maria da Vitória neste mês de julho, representando mais uma ação de apoio da Companhia à piscicultura na área de atuação da 2ª Superintendência Regional, sediada em Bom Jesus da Lapa.

O evento contou com o apoio das prefeituras dos municípios de Santa Maria da Vitória, Cocos, Correntina, Santana e São Félix do Coribe. Foram 22 participantes dos municípios que apoiaram, além do município de Bom Jesus da Lapa. A maioria dos participantes já trabalhava com beneficiamento de pescado e teve a oportunidade de aprimorar e compartilhar seus conhecimentos.



Os participantes tiveram aula com a instrutora Maria Aparecida Mendes, conhecida como “Cida Pescadora”, que é beneficiadora de pescado e consultora técnica. Ela reside em Sobradinho, também na Bahia, possui cerca de 40 anos de experiência na atividade e já desenvolveu aproximadamente 50 subprodutos derivados do pescado.

“O objetivo do curso foi atingido com êxito. A ideia foi trazer para a região uma pessoa que entendesse do aproveitamento dos subprodutos de peixe, que comumente não eram aproveitados, para ensinar aos produtores da região a não desperdiçar potenciais fontes de trabalho e renda. A partir de hoje, tenho certeza que ninguém jogará mais nada do peixe fora”, destacou a coordenadora do evento, Isabel Rivas, técnica da 2ª Superintendência da Codevasf, que é engenheira de pesca.



Cida Pescadora parabenizou a Codevasf e as cinco prefeituras municipais que realizaram o evento, além de ter destacado o empenho dos participantes, a criatividade, a interação e o espírito de coletividade da turma. Tatiane Galvão foi uma das participantes do curso. Ela já trabalha há um ano com processamento de pescado e relatou que já vai aplicar o conhecimento adquirido na prática.

“O curso agregou significativo conhecimento. Antes, eu descartava as carcaças dos peixes, mas aprendi que poderia aproveitá-las, ao invés de produzir resíduos. Assim, poderei gerar vários produtos para venda. De agora em diante, terei como agregar mais valor ao meu trabalho”, disse Tatiane, que reside em Santa Maria da Vitória.



Durante o curso, os alunos aprenderam que 100% do peixe pode ser aproveitado para geração de produtos, trabalho e renda, além de praticamente eliminar o descarte de resíduos no meio ambiente, evitando a contaminação. Dentre os produtos derivados do peixe, os alunos aprenderam na prática a produzir vários itens como: filé de peixe, peixe espalmado, postas, linguiças diversas, peixe defumado, almôndegas, hambúrgueres, bolinhos, biscoitos, massa base para salgados, torresmo de peixe, espetinhos, caldo concentrado, ração, dentre outros.

Também houve a demonstração da utilização das escamas de peixe para artesanato e do couro para confecção de bolsas, carteiras, sapatos e roupas. Foi ensinado ainda o processo de aproveitamento das vísceras, que comumente seriam descartadas, gerando subprodutos como óleo para produção de biodiesel e matéria prima para produção de ração e compostagens. De acordo com Cida Pescadora, o rendimento de óleo das vísceras do peixe gira em torno de 40% e a Petrobrás já vem adquirindo de algumas cooperativas para produção de biodiesel, pagando R$ 2,50 por litro.



“Antes do curso, a maioria dos beneficiadores de pescado da região aproveitava em média apenas 30% do peixe e, após o treinamento, passará a aproveitar praticamente 100% do pescado. É importante ressaltar que os participantes do curso serão multiplicadores dos conhecimentos adquiridos para outros interessados em seus respectivos municípios”, disse Gustavo Lisboa, secretário de agricultura e desenvolvimento econômico do município de Santa Maria da Vitória. Gustavo é um dos maiores piscicultores da região e acredita que o curso trará excelente retorno social, econômico e ambiental para a população.

“Eu fiquei surpreendida com o aproveitamento das espinhas do peixe, que antes eu descartava como lixo, mas agora passarei a utilizar para produção de ração. Destaco a excelente qualidade da instrutora Cida Pescadora e o empenho de todos os alunos que participaram do treinamento. Pude aprimorar meu conhecimento em processamento de pescado e aproveitarei para repassar todo o conhecimento adquirido para outras pessoas da região”, disse Normélia Oliveira, piscicultora do distrito de Tanque Novo, do município de Santana, participante do curso.

Assessoria de Comunicação Codevasf



Nenhum comentário

Os comentários publicados não representam o pensamento ou ideologia do Portal Lapa Oeste, sendo de inteira responsabilidade dos seus autores.