Breaking News

Bahia registra aumento de mais de 650% nos casos suspeitos de dengue e enfrenta falta de inseticida





Fornecimento do inseticida para combate do mosquito está suspenso — Foto: Pixabay/Divulgação

Por: G1 Bahia

A Bahia registra esse ano 56.556 casos suspeitos de dengue por todo o estado. O número representa um aumento de 657,8% em comparação a 2018. Apesar desse aumento, o fornecimento do inseticida usado contra o mosquito adulto foi suspenso desde março pelo Ministério da Saúde.




Com o repasse temporariamente pendente, a prefeitura de Salvador começou a racionar o produto. Desde maio, foram usados 24 litros por mês em média. Até a chegada da nova remessa, restam apenas 3 litros.

"Não só a Bahia, mas vários estados do país estão com dificuldade no abastecimento. Tem uma previsão de regularização até 4 de setembro, então está próximo", disse Marcelo Medrado, técnico da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab).




Por todo o estado, já foram confirmadas 29 mortes pelo mosquito da dengue. Outras 31 estão sendo investigadas.

Em Salvador, o bairro com maior índice de infestação de mosquito da dengue é Valéria, que tem índice de 9,9%. Outra localidade da capital baiana com alta infestação é Alto do Cabrito, com índice de 6,4%.




O índice aceitável é de até 1%. Entre 1 e 3,9% o sinal é de alerta. Acima disso, o local é considerado de risco. Segundo a bióloga Cíntia Sacramento, a dengue é muito mais comum no verão. O número tão alto no inverno é um sinal de alerta.

"Provavelmente esses mosquitos estão se desenvolvendo e se adaptando ao clima mais frio. Então a gente tem que ter um cuidado redobrado", disse ela.




Enquanto a nova remessa do inseticida não chega, a prefeitura adota outras medidas para combater o mosquito, como exemplifica Ana Galvão, chefe de informação do Centro de Controle de Zoonose (CCZ).

"Ações conjuntas com outros órgãos em mutirões, conclamando a população para fazer esse controle junto com a gente e, além disso, existem outros produtos também. O agente de endemias, quando visita casa, ele não usa esse inseticida. Ele usa um larvicida, que é um liquidozinho que é colocado nas águas, nos reservatórios, e que mata a larva antes da larva virar um mosquito adulto", disse ela.

Por meio de nota, o Ministério da Saúde informou que já recebeu 105.600 litros de inseticida que estão passando por testes de qualidade, antes de serem encaminhados para os estados.



NÃO PERCA OS FATOS! Acesse nossa página no Facebook (clique aqui), clique em curtir e receba todo o conteúdo do Portal Lapa Oeste. Contamos com você!


Nenhum comentário

Os comentários publicados não representam o pensamento ou ideologia do Portal Lapa Oeste, sendo de inteira responsabilidade dos seus autores.