Breaking News

Detalhes do projeto da adutora que levará água do São Francisco para Bom Jesus da Lapa, Riacho de Santana e Igaporã

Foto: Facebook

Por: Assessoria de Comunicação e Promoção Institucional da Codevasf

A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) apresentou para representantes de Bom Jesus da Lapa, Riacho de Santana e Igaporã o projeto básico do sistema integrado de abastecimento de água que beneficiará os três municípios baianos. O desenvolvimento do projeto básico, contratado pela Codevasf e em fase de conclusão, será a base para a construção da adutora e do sistema, e representa investimento de R$ 1,4 milhão. Os recursos são originários de reserva técnica de emendas parlamentares.


A apresentação foi realizada por representantes da empresa contratada pela Codevasf. Participaram do encontro o prefeito de Bom Jesus da Lapa, Fábio Nunes; o prefeito de Igaporã, Newton Cotrim — conhecido como Neto; e o secretário de infraestrutura de Riacho de Santana, Mayson Gustavo Fernandes, que representou o prefeito Tito Castro.

“O primeiro passo é esse. É o projeto básico, que já está em mãos, e o projeto executivo, que vai ser entregue até abril. Nós já demos o primeiro passo. Vamos agora trabalhar com os parlamentares para buscar os recursos necessários para a execução da obra. É uma grande obra para a região”, afirma o superintendente regional da Codevasf, Harley Nascimento.

A estimativa é de que a população a ser prontamente beneficiada pela implantação da adutora principal seja de aproximadamente 77,3 mil habitantes. Ao final do plano, no ano de 2040, a previsão é de que a população atendida em Bom Jesus da Lapa seja de 68,8 mil habitantes da sede e 4,5 mil habitantes de comunidades rurais, além de uma população flutuante de 800 mil pessoas em dois meses por ano; em Riacho de Santana, 39,16 habitantes da sede e outros 13 mil de comunidades rurais; e em Igaporã, 10,3 mil habitantes da sede e 4,2 de comunidades rurais.

“Nossa expectativa é enorme para ver esse projeto sendo executado, uma água de qualidade chegando em Igaporã, Bom Jesus da Lapa e Riacho de Santana”, afirma o prefeito de Igaporã. “Será, sem dúvida nenhuma, o marco de uma nova era para esses municípios, resolvendo um problema que tem perdurado ao longo do tempo”, acrescenta Neto.


O local projetado para captação da água, por balsa flutuante, será o rio São Francisco, em Bom Jesus da Lapa. A vazão prevista é de 520 litros por segundo. A Adutora de Água Bruta deverá ter extensão de 4,2 mil metros, com 710 mm de diâmetro.

A Estação de Tratamento de Água, pré-fabricada, deverá ter vazão de 500 litros por segundo; contará com Casa de Química e Unidade de Tratamento de Resíduos. O tratamento convencional passará pelas etapas de água bruta, calha parshall, floculação, decantação, filtração, tanque de contato, reservatório e distribuição.

“Esse é um projeto que contempla não só os habitantes da área urbana desses municípios, como também toda uma comunidade rural. Ele será executado a princípio em quatro etapas. Atendendo, primeiro, ao município de Bom Jesus da Lapa; a segunda etapa, até Riacho de Santana; a terceira, concluindo em Igaporã; e, por último, as comunidades adjacentes a todos esses municípios”, explica George Carvalho, técnico da 2ª Superintendência Regional da Codevasf e fiscal da ação.

O sistema de abastecimento de água terá três Elevatórias de Água Tratada: a de Bom Jesus da Lapa terá potência de 1.000 cv e vazão de 225 litros por segundo; a de Barreira da Caatinga terá a mesma potência e vazão de 215 litros por segundo; e a de Riacho de Santana terá potência de 350 cv e vazão de 64 litros por segundo. Também haverá cinco Adutoras de Água Tratada.


“Que essa data seja um marco histórico para as cidades de Riacho de Santana, Igaporã e Bom Jesus da Lapa. Tivemos uma crise hídrica muito grave no ano passado. Agora, a partir dessa data, em que foi apresentado o projeto aqui na Codevasf, podemos dar início a esse grandioso projeto”, diz o secretário municipal Mayson Gustavo Fernandes, que representou o prefeito Tito Castro, de Riacho de Santana, na apresentação realizada neste mês.

Neste momento, estima-se que 63,9% da população dos três municípios tenham acesso a água tratada. A expectativa é de que essa marca suba para 92,2 % após a conclusão do sistema. A previsão é de que Bom Jesus da Lapa consumirá 10.996 m³/dia; Riacho de Santana, 7.840 m³/dia; e Igaporã, 2.268 m³/dia.

“Temos que agradecer e parabenizar a toda a equipe da Codevasf por essa obra tão importante para a região. Bom Jesus da Lapa está à disposição. Iremos vestir a camisa. O município será grande parceiro”, diz Fábio Nunes, prefeito de Bom Jesus da Lapa.

Comunidades beneficiadas

Em Bom Jesus da Lapa, o projeto básico contempla as comunidades de Lapinha/Quincas, Margem da Rodovia, Lagoa das Pedras, Barauninha, Canafístola, Chapada Grande / Chapadinha, Tanque Novo, Favelândia e Brejos de São José.


Em Igaporã, as comunidades alcançadas são Conceição, Barreiro, Igaporã, Santana, Gameleira, Cachoeira do Tatu, Canabrava, Tamboril e Cachoeira dos Alves.

Em Riacho de Santana, por sua vez, as comunidades são Barreiro Vermelho, Barreiro de Cima, Riacho de Santana, Santana, Margem da Rodovia, Santana / Barragem, Jatobá, São João, Jurema de Teófilo, Gongo, Aldeia, Botuquara, Alagoinha, Lagoa, Mamoeiro, Cajazeiras, Arroz, Juá, Barreirinho, Torto, Pau de Engenho, Boqueirão das Pombas, Santa Rita, Barriguda, Caldeirão, Barreiro da Caatinga, Descoberto, Laguna, Vereda, Soledade, Sítio, Tábua, Cedro, Santo Antônio e Brejinho.

Nenhum comentário

Os comentários publicados não representam o pensamento ou ideologia do Portal Lapa Oeste, sendo de inteira responsabilidade dos seus autores.