Breaking News

Como Datena e os programas pinga-sangue ensinaram os evangélicos fundamentalistas a odiar

Foto: reprodução

Os programas de conteúdo "policial" são tratados pelo jornalista como "programas pinga-sange", responsáveis por expor a miséria e a violência na sociedade.



São citados vários programas, desde os primeiros a ser lançados na década de 1980, até os atuais quadros da televisão que priorizam o sensacionalismo jornalístico.

Segundo o autor do artigo, esses programas contribuíram para implantar um cultura do ódio e encontraram grande aceitação entre os "evangélicos fundamentalistas crentes".

"Sempre odiei esses programas, mas até pouco tempo atrás nunca havia pensado na ideologia que eles transmitem. Quando eu vi o documentário “Bandidos na TV”, na Netflix, me deu o estalo. Programas pinga-sangue estão entre os maiores eleitores de Bolsonaro: eles influenciaram os crentes a odiar não só o pecado, mas o pecador."

"O pinga-sangue educou o brasileiro no ódio ao “bandido” – ódio também ao “amigo do bandido” e seus “direitos humanos”. Por diversas razões, parece ter falado de forma particular ao coração dos fundamentalistas, ajudando-os a desabrochar nas figuras agressivamente políticas do presente."

Acompanhe o artigo completo: clique aqui



Nenhum comentário

Os comentários publicados não representam o pensamento ou ideologia do Portal Lapa Oeste, sendo de inteira responsabilidade dos seus autores.